430025_10150749002265555_35530840554_11565311_451583704_n

ModaLisboa Day 2

O segundo dia de Modalisboa iniciou-se de novo no Lab, desta feita com o desfile de V!tor, sob o tema “Life and Death”, apresentou uma colecção que se vestiu inteiramente de preto num estilo muito grunge, ao som de uma frenética bateria. 

O rasgado, desgastado e esburacado foram elementos presentes em grande parte das peças conferindo-lhes look pesado e desarranjado pretendido. Um detalhe a salientar são os chapéus apresentados, trabalhados a partir de chapéus e bonés com aplicações de tecido que muitas vezes funcionou como véu.

 

Katty Xiomara foi a senhora que se seguiu, surpreendendo  todos ao apresentar a colecção ao contrario, começou com a lineup de modelos com óculos pintados na cara e luvas pintadas nas mãos e agradeceu antes de começar o desfile. A música de videojogos antigos acompanhou de forma engrançada o inicio do desfile que se desfez em roxo, azul, preto e tons pastel. As silhuetas mantiveram-se muito femininas com uma clara influencia do trench-coat  que foi desconstruído em várias peças, esquecidas também não foram as pregas e efeitos plissados que já tinham estado presentes na colecção passada.  Os estampados surgiram em pequenos detalhes e também não faltaram os botões e os laços.

 

Saímos do banco e seguimos para o páteo da Galé onde nos espera Dino Alves, com uma escadaria logo no início da passerelle. O desfile começa e as primeiras modelos sobem as escadas e deixam que um foco de luz lhe cubra os vestidos recriando desenhos animados de pássaros e mãos nos seus corpos.  A seguir segue-se o desfile pautado por um estampado preto e branco combinado muitas vezes com detalhes vermelhos, as cinturas das saias sobem e as calças querem-se muito justas. Surge um degradé cinza nas calças de homem e o pelo falso ao lado da popelina. Já a meio do desfile chega outro padrão desta vez muito vivo e com detalhes dourados, num desenho abstracto, um pouco floral geométrico que faz lembrar a arte-deco, seguido deste enormes borboletas sob um fundo amarelo e combinadas com cinzento fecham o desfile.

 

 O último da noite foi Ricardo Preto que plantou árvores na sala de desfiles, que abriu em tons de branco seguindo-se mais tarde uma imensidão de verdes desse os mais ácidos ao mais secos, mas também o preto surgiu enfeitado com cristais coloridos. Os plissados, o cetim e o cabedal foram alguns dos materiais utilizados, numa colecção onde também não faltou o crochet. As malhas foram outra parte importante da colecção sendo as camisolas com desenhos um elemento a destacar, também golas de cores surgiram de forma inesperada  nalguns casacos.

Por. Margarida Brito Paes

Francisco Vaz Fernandes
No Comments

Post a Comment