orbit-6

Tomás Saraceno no K21 Staendehaus

Tomás Saraceno criou para o K21 Staendehaus , museu de arte contemporânea de Duseldorf a sua maior instalação de sempre. Com 20 metros de altura, In Orbit é uma peças que ocupa a totalidade do pátio central e cúpula do museu, uma antiga fábrica alemã. O artista argentino criou uma peça constituida três niveis de malha de aço , fixas anas estrutiras do museu e separadas por bolas de pvc com cerda de 8 metros de diametro. O resultado é uma espécie de paisagem de ficção científica, que faz lembrar uma enorme teia de aranha galática. Obviamente faz alusão ao mundo das redes virtuais e as formas como nos relacionamos

Conhecido por quebrar barreiras entre a arte e a ciencia, Saraceno muitas vezes refere-se as suas instalações como organismos vivos. Para o artista a peça proporciona a sensação da queda  no vazio  ou flutuação no ar e,  convida, inevitavelmente, o visitante a passar por vários tipos de emoção e sensações. queda  no vazio e flutuação no ar e,  convida, inevitavelmente, o visitante a passar por vários tipos de emoção e sensações.

Esta configuração flutuante  da , “In Orbit!,  torna-se uma experiencia que leva os aventureiros desta experiencia radical a uma comunicação. Quando várias pessoas entram so espaço vai-se moldando ao movimento realizado pelas pessoas, alterando a tensão entre as diferentes camadas de malha. Os visitantes tem que estabelecer cordenação tácita entre os que circulam no espaço mesmo sem se conhecerem. Sarraceno encontra aqui uma forma híbrida de comunicação.

Para construir esta peças esteve tres anos  a estudar com arachnologistas (cientistas que estudam as aranhas) arquitectos e engenheiros as possibilidades que deram a forma da peça, In Orbit para o museu

Para poder entrar In Orbit tem que se ter pelo menos 12 anos e usa uma aplicação no calçado ue é fornecido pelo museu

Francisco Vaz Fernandes
No Comments

Post a Comment