Fala Atelier - apartamento garagem

Fala Atelier , a nova arquitetura portuguesa

O Filipe Magalhães a Ana Luísa Soares e o Ahmed Belkhodja conheceram-se num atelier de arquitetura na Suíça. Eram colegas e amigos e tinham as mesmas ideias. Por isso, quando chegou a hora de juntarem as experiências acumuladas e fundarem o seu próprio atelier, tudo encaixou num processo natural. Desde 2013, inicialmente no Porto e agora também em Lisboa, o Fala Atelier é o rosto da arquitetura jovem portuguesa, que não conheceu a crise e que sem complexos reivindica, entre outras coisas, imaginar a nova arquitetura da classe média.

Apartamento no Chiado

fala_chiado_apt_27

O vosso atelier foi fundado por 3 elementos, em que proporções entra a amizade e a questão profissional para a concretização do vosso projeto?

Antes de trabalharmos juntos no atelier já o tínhamos feito na Suíça. O modo como trabalhamos advém de um certo nível de cumplicidade e de uma noção clara de que estamos “a remar para o mesmo lado”. Temos objetivos e ideais comuns. Esta amizade é um ponto comum com todos os nossos colaboradores: trabalhamos juntos todos os dias e a ideia de hierarquia é quase irrelevante. O atelier funciona numa base muito horizontal.

Abrir um atelier em Lisboa representou o quê para a vossa equipa?

Acima de tudo, uma necessidade. Estamos baseados no Porto, onde temos maior parte dos nossos projetos em construção; no entanto, a quantidade de encomenda em Lisboa cresceu muito e precisávamos de dar uma resposta. O novo atelier é um satélite que nos permite responder com maior eficiência aos projetos em Lisboa, mas é também, num nível mais teórico, uma expansão da nossa própria ambição: somos um atelier jovem, mas com uma enorme vontade de agarrar mais e maiores projetos. Esta é a primeira derivação concreta nesse sentido.

Graça Apartment, Lisboa, Out 2015 – Mai 2016

Fala Atelier - Graça

Com  a crise que atravessamos falou-se também muito na crise dos ateliers de arquitetura, em que medida isso vos afetou ou não?

Começamos o atelier no início 2013, em plena crise. Não chegamos a conhecer o contexto anterior, logo não é facial comparar os dois cenários. No entanto, no cenário que encontramos, vimos imensas possibilidades: um mercado a querer levantar-se e uma absoluta ausência de concorrência de jovens ateliers. Depois da publicação do primeiro projeto, que aconteceu um pouco por acaso, os restantes vieram em sequência. Conseguimos estabilizar-nos no pior momento e agora, resta-nos seguir a onda que criamos. Crescemos em contraciclo.

Como olham para a arquitetura portuguesa especialmente para a vossa geração?

Com alguma apreensão, mas também com esperança. Faltam ateliers jovens que ajudem a reciclar uma “classe média” da arquitetura desatualizada e perdida no tempo. As escolas devem ter um papel fundamental em abrir Portugal ao mundo, dado que a maior parte do produto que formam acaba a trabalhar fora do país, mas mais ainda para potenciar o que acontece dentro de fronteiras. Estamos em 2017, não em 1984, e precisamos de aceitar que o mundo mudou, acelerou. A nossa geração estudou fora, está a ter a oportunidade de trabalhar por todo o mundo: é legítimo por isso esperar que estas sinergias possam convergir numa dinamização da cena nacional.

Faria Guimaraes House, Oporto PortugalFicaram internacionalmente conhecidos pela vossa experiência de vida na torre Nakagin Capsule Tower, basicamente um edifício em período de extinção de vida, como seria ver um dos vossos projetos realizados morrer?

Natural. Os edifícios têm uma vida própria depois de sairmos de cena, e a morte é o horizonte tangível de todas as coisas, tornando-as em ruína ou memória. Há da nossa parte uma abertura total à ideia de “substituição”, por oposição a este espírito pseudo-reabilitador dos últimos anos, e aceitar que os nossos edifícios desaparecerão a dado momento é necessário. As cidades são ecossistemas com vida própria.

texto de Francisco Vaz Fernandes

http://www.falaatelier.com/

 

Garage House, Lisboa, Set 2015 – Abr 2016

Fala Atelier - apartamento garagem1

Fala Atelier - apartamento garagem

Francisco Vaz Fernandes
No Comments

Post a Comment