Tag Archives: H&M

H&M Design Award 2015

Os oito fina­lis­tas aos H&M Design Award 2015, já foram esco­lhi­dos a par­tir das melho­res esco­las de design do mundo. Esta é quarta edi­ção dos H&M Design Award , pré­mio que pro­cura enco­ra­jar futu­ros talen­tos que aju­da­rão a impul­si­o­nar a moda glo­bal.
Cada um dos fina­lis­tas apre­sen­tará as suas fon­tes de ins­pi­ra­ção e a sua cole­ção a um pai­nel de jura­dos espe­ci­a­lis­tas em moda, que esco­lherá o ven­ce­dor final. Receberão igual­mente um pré­mio de fina­lista no mon­tante de 5000 €. O júri deste ano conta com Luella Bartley, dire­tora de design da Marc by Marc Jacobs; Lucinda Chambers, dire­tora de moda da Vogue bri­tâ­nica; Paula Goldstein di Principe, dire­tora cri­a­tiva; Tommy Ton, jor­na­lista visual; Angelo Flaccavento, crí­tico de moda Freelance; Justin O’Shea, dire­tor de com­pras da Mytheresa​.com; Lily Allen, can­tora e com­po­si­tora; Ann-​​Sofie Johansson, dire­tora de design, New Development, da H&M; e Margareta van den Bosch, con­sul­tora cri­a­tiva da H&M. Ou seja um pai­nel bem variado

OS FINALISTAS:

MAGDALENA BROZDA (Polónia) – A Magdalena tirou o mes­trado (MA) na Universidade de Genebra de Arte e Design. A sua cole­ção baseia-​​se em ideias posi­ti­vas e cele­bra­ti­vas acerca da morte.

ANDREAS EKLÖF (Suécia) – O Andreas tirou o mes­trado na Escola Superior de Têxteis, em Borås, Suécia. A sua cole­ção nome­ada recor­reu à fita ade­siva para desen­vol­ver novas ideias no ves­tuá­rio para o exterior.


GRAHAM FAN (Canadá/​Hong Kong) – Mestre pela Central Saint Martins, em Londres. Graham uti­li­zou téc­ni­cas de tece­la­gem manual para desen­vol­ver têx­teis com­ple­xos para as suas silhu­e­tas minimalistas.


ANDREA JIAPEI LI (China) – A Andrea estu­dou no pro­grama de Mestrado (MFA) da Parsons, em Nova Iorque. Para a sua cole­ção, usou a antí­tese da sua esté­tica para se defi­nir a si pró­pria e ao seu tra­ba­lho de uma nova forma.


JAMES KELLY (Reino Unido) – O James tirou o Mestrado (MA) no Royal College of Art, em Londres. A sua ins­pi­ra­ção foi a ima­gé­tica foto­grá­fica de peças de ves­tuá­rio cap­ta­das em movimento.


LEONARD KOCIC (Sérvia/​Suécia) – O Leonard estu­dou na Beckmans College of Design, na Suécia. A cole­ção nome­ada baseou-​​se nas suas memó­rias da mãe.

XIMON LEE (Hong Kong) – O Ximon estu­dou ves­tuá­rio mas­cu­lino na Parsons, em Nova Iorque. A sua cole­ção foi ins­pi­rada pelo docu­men­tá­rio “Children of Leningradsky”.

FIONA O’NEILL (Irlanda) – A Fiona fez o curso de Licenciatura (BA) da Central Saint Martins, em Londres. A ins­pi­ra­ção para a sua cole­ção nome­ada pro­veio de mulhe­res a pin­tar ilus­tra­ções de outras mulheres.

O ven­ce­dor do H&M Design Award 2015 será anun­ci­ado a 27 de janeiro de 2015. Ele ou ela rece­berá um pré­mio no valor de 50 000 € e a opor­tu­ni­dade de apre­sen­tar o seu pró­prio des­file da cole­ção ven­ce­dora, na Semana da Moda de Estocolmo. O ven­ce­dor bene­fi­ci­ará tam­bém de um pro­grama de men­to­res e da opor­tu­ni­dade de desen­vol­ver peças da cole­ção pre­mi­ada para que sejam ven­di­das em lojas sele­ci­o­na­das da H&M.

Isabel Marant para H&M

Depois de ter sido anun­ci­ada a cola­bo­ra­ção entre Isabel Marant e a H&M, chega-​​nos agora o look­book da colec­ção cri­ada pela desig­ner para o pró­ximo Inverno. Disponível com linhas para mulher, homem e jovem, esta colec­ção pro­mete aque­cer os dias mais frios com ten­dên­cias arro­ja­das. Folhos, fran­zi­dos, lan­te­jou­las, padrões, malhas e cabe­dal estão em des­ta­que, tal como uma vasta linha de aces­só­rios que incluem cin­tos, len­ços, cache­cóis, gor­ros e biju­te­ria.
A colec­ção de Isabel Marant para a H&M chega a Portugal a 14 de Novembro.

Texto de Joana Teixeira 

Peter Klussell, H&M (entrevista)

Neste Outono, a H&M sur­pre­ende com uma colec­ção mas­cu­lina ins­pi­rada na marca Mauritz Widforss. Comprada em 1968 pelo fun­da­dor da Hennes — antes de ser Hennes&Mauritz — esta marca está na ori­gem da H&M como a conhe­ce­mos hoje.
Entrevistámos Peter Klussell, res­pon­sá­vel pelo design das peças desta nova colec­ção, inti­tu­lada Arquivo Mauritz, que rein­venta as peças clás­si­cas desta marca, ins­pi­ra­das nas acti­vi­da­des ao ar livre, mas com o estilo jovem e con­tem­po­râ­neo da H&M.
Esta colec­ção apre­senta casa­cos de fazenda, ence­ra­dos e ano­ra­ques, tal como cami­sas axa­dre­za­das e cal­ças de lã.
Arquivo Mauritz pro­mete ser uma linha rica em diver­si­dade, com peças que ficam bem no armá­rio do homem contemporâneo.

Quando encon­trou, pela pri­meira vez, a marca Mauritz Widforss numa revista, o que é que lhe cha­mou a aten­ção e o fez que­rer saber mais?
Encontrar um anún­cio da Mauritz Widforss na revista foi algo ines­pe­rado. Sabia que a Hennes&Mauritz tinha tido ori­gem nou­tra marca, mas não tinha mais nenhuma infor­ma­ção. Encontrei um livro numa loja de anti­gui­da­des, que com­pi­lava várias revis­tas anti­gas e, ao folhear, tro­pe­cei numa publi­ci­dade da Mauritz Widforss. Comecei a minha pes­quisa a par­tir daí.

Como é que a Mauritz Widforss ins­pi­rou uma colec­ção mas­cu­lina da H&M?
Funcionalidade é algo a ter em conta no ves­tuá­rio mas­cu­lino. Quando tra­ba­lho, olho sem­pre para trás para per­ce­ber como é que o ves­tuá­rio cos­tu­mava ser feito. É impor­tante com­pre­en­der as ori­gens de uma peça de roupa, antes de criar uma nova peça adap­tada ao século XXI. Apesar da H&M ter sem­pre dis­po­ní­veis peças fun­ci­o­nais para homem, pen­sá­mos como seria espe­cial estar­mos liga­dos à herança da marca, por isso deci­di­mos criar uma colecção-​​cápsula ins­pi­rada no arquivo Mauritz.

Porquê criar uma colec­ção con­tem­po­râ­nea com raí­zes na marca Mauritz Widforss?
Soubemos ime­di­a­ta­mente que não que­ría­mos criar uma colecção-​​réplica. O uni­verso da moda mas­cu­lina mudou tanto ao longo das déca­das, em ter­mos de silhu­eta e tecido, que deci­di­mos criar uma colec­ção com peças que repre­sen­tas­sem o que a Mauritz Widforss esta­ria a pro­du­zir se ainda exis­tisse hoje. Os deta­lhes fun­ci­o­nais da marca ainda estão pre­sen­tes, mas as for­mas e o estilo são adap­ta­dos à vida urbana contemporânea.

Como des­creve as peças ori­gi­nais da Mauritz Widforss?
Esta marca ven­dia ves­tuá­rio des­ti­nado a pra­ti­car acti­vi­da­des ao ar livre – como caça ou pesca. O pro­pó­sito das peças não era estar na moda, mas ser fun­ci­o­nal. Mas, como os esti­los tra­di­ci­o­nais do ves­tuá­rio mas­cu­lino são uma fonte recor­rente de ins­pi­ra­ção, hoje em dia, aos olhos da moda moderna a linha de estilo da Mauritz Widforss é uma ten­dên­cia. É inte­res­sante ver como a ati­tude perante vários tipos de roupa muda radi­cal­mente de gera­ção para geração.

Como é que as peças de ves­tuá­rio do arquivo Wirdforss o ins­pi­ra­ram no pro­cesso de recri­a­ção?
Tenho um fas­cí­nio por deta­lhes fun­ci­o­nais e como são ver­sá­teis, podendo ter um pro­pó­sito ou exis­tir ape­nas como por­me­nor deco­ra­tivo numa peça. E as peças ganham uma vida dife­rente quando são muda­das de con­texto. Por exem­plo, os múl­ti­plos bol­sos no bla­zer de lã foram usa­dos um dia por um cava­lheiro que gos­tava de pra­ti­car acti­vi­da­des ao ar livre. Hoje, os mes­mos bol­sos dão jeito quando anda­mos de bici­cleta na cidade. Há deta­lhes que ser­vem ape­nas como apon­ta­men­tos de ori­gem, como por exem­plo as cos­tu­ras refor­ça­das no casaco encerado.

Qual o con­ceito e pro­pó­sito da colec­ção Arquivo Mauritz?
O con­ceito é ofe­re­cer aos cli­en­tes mas­cu­li­nos algo espe­cial neste Outono, que explora a quase des­co­nhe­cida herança da H&M. É fan­tás­tico poder explo­rar as ori­gens da marca desta forma, para criar algo tão único como esta colecção-​​cápsula.

A colec­ção Arquivo Mauritz foi dese­nhada para ves­tir que tipo de homem?
O que estas peças têm de melhor é o facto de serem ver­sá­teis, podendo ser ves­ti­das por todos os tipos de homem. Conferem um look com estilo a um homem que não segue as ten­dên­cias da moda, sendo peças que encai­xam facil­mente em qual­quer guarda-​​roupa mas­cu­lino con­tem­po­râ­neo. Esta tam­bém é uma colec­ção com grande diversidade.

 

Entrevista por Joana Teixeira

H&M, Colecção “Mauritz Archive”

Neste Outono a H&M sur­pre­ende com uma colec­ção mas­cu­lina espe­cial. A marca regressa às suas ori­gens, quando era ape­nas Hennes. Em 1968, o seu fun­da­dor com­prou a Mauritz Widforss, uma marca de ves­tuá­rio de caça e pesca para homem. A união entre os dois nomes deu ori­gem à Hennes&Mauritz que conhe­ce­mos hoje como H&M.
A colec­ção “Mauritz Archive” recu­pera o estilo da Mauritz Widforss, com o toque urbano e con­tem­po­râ­neo da H&M. Entre as peças encon­tra­mos casa­cos de fazenda, ence­ra­dos, ano­ra­ques, cami­sas axa­dre­za­das e cal­ças de algo­dão. Rica em diver­si­dade, esta linha rein­venta as raí­zes de estilo mas­cu­lino da marca, com peças que ficam bem no armá­rio do homem urbano actual.

Texto de Joana Teixeira 

Gisele Bündchen canta para H&M

Gisele Bündchen dá o corpo e a voz à cam­pa­nha de Outono da H&M. A super­mo­delo bra­si­leira gra­vou a sua ver­são da can­ção “All Day And All Of The Night”, dos bri­tâ­ni­cos The Kinks, que será a banda sonora da apre­sen­ta­ção ao público das peças da pró­xima esta­ção. A cam­pa­nha da H&M para esta colec­ção inspira-​​se numa esté­tica de street style.
A ini­ci­a­tiva de Gisele Bündchen como “can­tora” tem um cunho soli­dá­rio, sendo que a sua música ficará dis­po­ní­vel no iTu­nes e, por cada down­load, a H&M ofe­re­cerá uma doa­ção à UNICEF.

Texto de Joana Teixeira